A mecânica quântica pode melhorar as baterias telefônicas? A Samsung e a Honeywell associaram-se para explorar a possibilidade

Postado em 18/02/2021 por Maria Heloísa

Tecnologia

Samsung testa novos materiais para baterias utilizando o Modelo de Sistema H1 da Honeywell.

Aparelhos celulares. Relógios inteligentes. Computadores que viram tablet.

A tecnologia atual anda mais portátil e versátil do que nunca, graças a baterias mais duradouras e outros dispositivos de armazenamento energético.

A demanda por baterias e dispositivos mais potentes e duradouros que possam manter cargas por mais tempo não tem fim.

A gigante global da tecnologia de consumo e eletrônicos Samsung – fabricante dos celulares Galaxy, tablets e outros dispositivos – fez recentemente uma parceria com a empresa Honeywell Quantum Solutions e físicos pesquisadores do Colégio Imperial de Londres para estudar como utilizar a computação quântica para desenvolver melhores baterias.

“A missão da Samsung é uma busca incessante para criar os melhores produtos e serviços através do talento e da tecnologia”

“A nossa parceria com a Honeywell continua nesse espírito, explorando o vasto potencial da computação quântica para encontrar novas fontes de inovação”.

disse Jaikwang Shin, Vice-Presidente Sênior do Instituto de Tecnologia Avançada da Samsung.

Experimento inicial

A Samsung trabalhou com o Professor Myungshik Kim, presidente do setor de Ciências da Informação Quântica do Departamento de Física do Colégio Imperial de Londres, e a sua equipe, Johannes Knolle, Joe Vovrosh, Chris Self, Kiran Khosla e Alistair Smith, para explorar algoritmos quânticos em sua fase inicial.

A equipe de pesquisa criou uma simulação da dinâmica de um modelo de spin em interação – modelos matemáticos utilizados para examinar o magnetismo.

Realizaram o experimento no Modelo de Sistema H1 da Honeywell, a última geração de seus sistemas de computação quântica baseados em íons presos.

“OS DADOS SÃO ENCORAJADORES, CONSIDERANDO O COMPRIMENTO DO CIRCUITO NECESSÁRIO PARA O ALGORITMO”.

Impulsionando novos limites

A simulação complexa exigiu que o Modelo de Sistema H1 executasse os chamados “circuitos longos” e utilizasse até 100 portas quânticas de 2 qubits para sustentar o cálculo.

Os algoritmos quânticos típicos são compostos por várias portas de um e dois qubits. Portas de dois qubits, que consistem em operações quânticas entre dois qubits separados, proporcionam o emaranhado entre os qubits que torna a computação quântica mais poderosa que os supercomputadores tradicionais, mas estas operações quânticas são também mais difíceis – e dispendiosas – de serem utilizadas. A complexidade dos circuitos quânticos pode frequentemente ser estimada com base no número de portas de dois qubits.

O Professor Kim disse que o sistema Honeywell teve um bom desempenho e os dados obtidos estão alinhados com as suas expectativas para o modelo.

“Os dados são encorajadores, considerando o comprimento do circuito necessário para o algoritmo”

disse ele.

O Futuro da Resolução de Problemas

O presidente da Honeywell Quantum Solutions, Tony Uttley, disse que o projeto não só beneficiou a equipe da Samsung e do Colégio Imperial de Londres com a sua pesquisa, como também provou que o Modelo de Sistema H1 pode lidar com algoritmos complexos com um elevado grau de precisão, dando aos pesquisadores confiança de que os seus resultados estão corretos.

Os computadores quânticos de hoje ainda estão dando os primeiros passos no caminho para se tornar um hardware comercial, e estes sistemas são frequentemente afetados por erros físicos que diminuem a eficácia dos cálculos.  O Modelo de Sistema H1 da Honeywell potencializa os qubits de íons presos para fornecer operações de fidelidade extremamente alta e a capacidade de manter informação quântica durante longos períodos.

“Os resultados do projeto do Professor Kim são empolgantes porque mostrou que o sistema Honeywell produz resultados promissores para algoritmos complexos, o que é importante se quisermos aproveitar o poder da computação quântica para resolver problemas do mundo real”

disse Uttley.

Embora o campo da computação quântica ainda esteja em desenvolvimento, existe um valor estratégico para as empresas começarem a explorar esse setor e começarem a traçar um caminho para mostrar sua importância nessa indústria.

Cortesia: Honeywell News.

Tradução autorizada de texto publicado pelo The Quantum Daily. Disponível em: https://thequantumdaily.com/2021/02/16/can-quantum-improve-phone-batteries-samsung-explores-the-possibility/. Acesso em 17 de fevereiro de 2021.

image_pdfimage_print
Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *